Segunda-feira, 20 de Dezembro, 2010


Wham, Last Christmas
(lamento, mas não dá para incorporar, é preciso ir mesmo ao YTube...)

Que me desculpem os mais puristas e tal, mas nos últimos 30 anos lembro-me de escassas – quiçá nulas – melhores músicas de Natal.

Claro que isto é incompreensível para a generalidade das pessoas que tenham nascido de meados dos anos 60 para trás (e mesmo para os que, nascendo de meados para cá, envelheceram muito cedo a ouvir coisas revolucionárias e afrancesadas).

Então porque se fala em primeiro lugar nas alterações para o Secundário? Das quais nem se ouviu falar?

Conselho Nacional de Educação critica alterações curriculares determinadas por “restrições orçamentais”

O Conselho Nacional de Educação (CNE) manifesta-se “contra as alterações pontuais” que o Governo pretende introduzir na organização curricular do ensino básico, criticando medidas em “sequência direta de restrições orçamentais“.

“As medidas de alteração do decreto-lei nº6/2001, de 18 de janeiro, não deveriam ser uma sequência direta de restrições orçamentais, já que o investimento em Educação torna-se prioritário, sobretudo quando é reconhecida a melhoria dos resultados escolares […]”, afirma o CNE, num parecer a que a agência Lusa teve acesso.

Quanto a EVT, se alguém tinha esperanças no NE, que se desengane… pois apenas acham que se deve reduzir o programa.

Ao mesmo tempo que se percebe que a linguagem se mantém muito eduquesa e se revela um desconhecimento evidente sobre a forma como o Estudo Acompanhado já estava a funcionar…

Manifestando-se “contra as alterações pontuais na organização curricular do ensino básico”, o CNE considera que a supressão da Área de Projeto não deveria ser materializada, sem que as suas valências sejam desenvolvidas noutros espaços escolares.

Por outro lado, afirma que reduzir o Estudo Acompanhado a alunos com dificuldades de aprendizagem é “insistir numa conceção de escola de remediação, sabendo-se que há planos de desenvolvimento que também devem ser contemplados na diferenciação curricular”.

“Limitar, preferencialmente, o Estudo Acompanhado às àreas curriculares disciplinares de Língua Portuguesa e Matemática pode ser o reconhecimento, certamente desfasado da realidade escolar portuguesa, que estas são as duas únicas áreas em que os alunos têm dificuldades de aprendizagem”, afirma o CNE, defendendo que sejam as escolas a identificar as áreas em que os alunos mais necessitam de “adquirir hábitos de estudo e de trabalho”.

Quanto à redução de dois para um do número de professores a lecionar Educação Visual e Tecnológica, o Conselho Nacional de Educação defende a reformulação do programa, já que com apenas um docente há a possibilidade de incumprimento do mesmo, temendo ainda que as aulas teóricas predominem sobre as práticas.

Na Fox, logo a seguir ao House. Vai no 2º episódio da 5ª temporada. Para quem conhece a série, mas não acompanhou o final da 4ª temporada, ele ficou viúvo, com três miúdos a cargo, está de baixa e o Masuka é que o substitui – detestando – no trabalho de recolha de provas nos crimes sangrentos.

… de reuniões de avaliação. Não foi bem chegar aos extremos mas quase. Uma enorme vantagem: zero planos de recuperação, que são aquelas coisas sempre muito chatas de fazer e que ficam a encher dossiers. Num caso porque a turma é boa, no outro porque as turmas PCA têm essa benção de serem elas mesmas um enorme Plano de Recuperação.

E mesmo assim amanhã vou ter de me justificar porque lá distribui mais do que a medida certa de níveis inferiores a três. Mas se aos 12 anos nem o raio de um caderno conseguem trazer ou, em trazendo, mantê-lo vagamente organizado, andamos com um problema sério por resolver e a culpa não é só minha…

Já quanto aos PIT, enfim… mais uma burocratice da treta a substituir a treta das provas de recuperação.

E o giro que é passarmos o tempo a falarmos por siglas? PIT, NEE, PEI, PCT, CEI… e é curioso que não há nada com quatro letras para destoar…

O comentador conseguiu não derrapar muito a partir do momento em que usou o termo escandalosa para falar da derrapagem de alguns ministérios…

Salários de funcionários públicos podem estar em risco

Os funcionários públicos estão a poucos dias de receber o ordenado, mas alguns podem estar parcialmente comprometidos. Como são os casos dos professores, magistrados e das forças de segurança.

Eu tenho uma felina possessiva e exclusivista em casa, pelo que não há hipótese de albergar nenhum canídeo. apesar dos pedidos da petiza. Para além de que, nas redondezas, já há dezenas a defecar, pela trela das shôdonas e shôtores ou pelo livre arbítrio, alegremente pelos passeios.

Se alguém quiser um(a) que diga, que são mesmo uma beleza, só não conseguindo ficar parados para eu os peligrafar.

Com nove quilos de azeitonas faz-se um litro de azeite. Os mercados dizem que é com dez…

No ano passado pagava-se a jorna a 25 euros às mulheres e a trinta aos homens; não tem a ver com sexismo, apenas com a diversidade do trabalho.

E cada quilo entrava no lagar a 25 cêntimos; este ano é a 20 cêntimos, enquanto as mulheres recebem a 30 euros e os homens a 35 euros – quando há sorte de os achar.

Isto num governo dito liderado por aquele que não voltarei a nomear e por um ministro ps da agricultura que nem das pescas é.

Página seguinte »