Cursos profissionais representam 15 por cento da amostra do PISA em Portugal

Quinze por cento dos 6298 alunos que, no ano passado, realizaram os testes do PISA, estavam em cursos de vocação profissional, segundo informação divulgada esta tarde pelo Ministério da Educação.

Analisemos agora os dados oficiais sobre as matrículas e frequência do 9º ano e Ensino Secundário em 2008/09, ano da realização dos testes PISA:

No caso do 9º ano, é fácil constatar que os CEF de tipo 2 e 3 são bem mais de 15% do total de conclusões se os considerarmos em conjunto com o chamado ensino regular (32750 alunos em cerca de 117.000).

No caso do Secundário, entre cursos tecnológicos e cursos profissionais de nível 3, esse valor de 15% fica a perder de vista.

Claro que dirão que se trata de alunos de 15 anos… que não estarão assim tantos matriculados em CEF. Há estatísticas com esses detalhes?

As oficiais disponíveis não chegam a esse detalhe.

Mas o problema maior nem sequer é esse, quanto às dúvidas que se têm.

As principais questões são duas:

  • Qual o ranking médio da amostra de escolas de 2009 comparado com o da amostra de 2006?
  • O trabalho de preparação das escolas, professores e alunos envolvidos. Que eu acho que foi muito melhor em 2009 do que 2006, O que até está certo. Só estranho os pruridos em admiti-lo.
Anúncios