Há dias a OCDE deu esta resposta a um colega nosso, que indicia ter o ME a lista das escolas que foram seleccionadas para o PISA 2009. Ontem a ministra negou ter conhecimento das escolas seleccionadas para serem aplicados os testes, Isso colide, objectivamente, com declarações de responsáveis pelo GAVE e o que se pode ler neste relatório de actividades e auto-avaliação, em que se descreve como foi preparada a participação, por exemplo, no caso dos testes de literacia:

3.2.4. Formação de Literacia em Leitura (PISA)
No âmbito da aplicação do PISA 2009 e no esforço que o GAVE tem vindo a fazer no sentido de envolver, de uma forma cada vez mais responsável e mais activa, as escolas neste projecto, este Gabinete promoveu a Oficina de Formação “Literacia em Leitura – Construção de Itens de Análise e Interpretação de Textos”.

Esta formação teve como objectivos promover uma reflexão crítica, entre todos os participantes, sobre as suas práticas de sala de aula, nomeadamente, no que concerne ao desenvolvimento da competência de leitura e à sua testagem e dotar os professores de conhecimentos e competências para a utilização, em contexto de sala de aula, de materiais provenientes do estudo PISA.
Os destinatários desta acção de formação foram professores de Língua Portuguesa e/ou Português pertencentes, na maioria, a escolas seleccionadas para a aplicação deste projecto.

Repito que não está sequer em causa a suprema correcção metodológica da coisa. O que está em causa é o desnecessário nevoeiro em trono da coisa.

O que quer dizer Isabel Alçada? Que ela pessoalmente não conhece a lista de escolas participantes? Acredito. Que o ME não a conhece? Impossível!!!

Ler ainda na página 47:

3.6.2. Projecto PISA – Estudo Principal – PISA 2009
No âmbito das actividades do Estudo Principal PISA 2009 foram preparados os cadernos de teste com materiais confidenciais e os questionários de contexto segundo as normas estabelecidas pela OCDE.
O teste PISA foi aplicado nas 215 escolas participantes, a 6 286 alunos, tendo sido seleccionados 40 com 15 anos de idade, em cada uma delas. Após a aplicação do teste, procedeu‐se à codificação das respostas dos questionários de contexto relativa às profissões dos pais e das respostas dos alunos aos itens dos cadernos de teste. Posteriormente, os resultados obtidos nos cadernos de teste e nos questionários de contexto foram validados e introduzidos na base de dados do Teste Principal PISA, que foi enviada para a OCDE. Foi efectuada a revisão e a resolução de problemas/incongruências detectados na base de dados, bem como a resposta atempada a todos os pedidos e dúvidas colocadas pelo Consórcio PISA – OCDE