Disseram-me hoje que os tais erros ou equívocos que terão acontecido nas progressões ou reposicionamentos de alguns colegas, os tais que a DGRHE terá tentado corrigir com as circulares de 29 de Outubro, se terão ficado a dever a uma aplicação da própria DGRHE, na qual eram introduzidos os dados dos professores para simular qual o seu novo posicionamento.

A ser mesmo assim, que sentido faz ameaçar professores e directores com devolução de salários e outro tipo de responsabilidades?

Até porque mesmo agora me chegou a indicação que numa Secundária que agora não interessa identificar há a exigência de devolução a 10% dos docentes… o que me parece claramente excessivo sem grosso erro de alguém…