Quarta-feira, 10 de Novembro, 2010


Lloyd Cole, Unhappy Song

Disseram-me hoje que os tais erros ou equívocos que terão acontecido nas progressões ou reposicionamentos de alguns colegas, os tais que a DGRHE terá tentado corrigir com as circulares de 29 de Outubro, se terão ficado a dever a uma aplicação da própria DGRHE, na qual eram introduzidos os dados dos professores para simular qual o seu novo posicionamento.

A ser mesmo assim, que sentido faz ameaçar professores e directores com devolução de salários e outro tipo de responsabilidades?

Até porque mesmo agora me chegou a indicação que numa Secundária que agora não interessa identificar há a exigência de devolução a 10% dos docentes… o que me parece claramente excessivo sem grosso erro de alguém…

Cinco alunos por cada dez polícias:

Lentamente e com passo miudinho cinco estudantes do ensino secundário de Beja caminharam, nesta quarta-feira, ao longo da principal avenida da cidade, segurando uma faixa amarela com três palavras de ordem escritas a negro: “Não aos exames – ao regime de faltas – estudantes estão na rua”.

Viva o Bairro do Texas!

Se são quem eu penso, estão muito habituados a estar na rua: quer em casa, quer na escola. O que continuo a lamentar.

… que terão chegado hoje pelo menos a algumas escolas, logo que se aceda aos documentos serão por aqui divulgados ou em outros dos recantos da blogosfera que não se acomodou apenas ao comentário.

Felizmente há quem continue a escavar pela informação, a esforçar-se por dar a conhecer de forma crítica e a fazer, por gosto, um esclarecimento indispensável sobre assuntos que não têm outro espaço para debate.

Se há algo em que volto a acreditar é que o ensaio de bloqueio à informação por parte dos actores institucionais que atingiu  seu máximo até ao arranque deste ano lectivo está já em curva descendente.

Porque o medo e o acomodamento não podem vencer.

… sobre a redução dos efectivos dos órgãos de gestão no Ad Duo (com link nos comentários para uma tabela comparativa no Blog DeAr Lindo):

Despacho que fixa o n.º de Adjuntos e Assessorias

Obrigado, Buli. O pacote grego chegou.

De ontem, mas sempre actuais…
.
Governo extingue contratos com o ensino particular. Colégios pagos pelos estado terão contratos anuais.
.
A crise obriga a abrir cantinas escolares aos fins de semana e nas férias escolares. Aumento de alunos apoiados pela Acção Social Escolar.
.
Já de hoje:
.
Novas Oportunidades obrigatórias para 300 mil desempregados. Ministra do trabalho fala sobre a medida. A formação já oferecida pelos centros de emprego e a falta de perspectivas de emprego.
.
Mesão Frio concelho com a maior taxa de desemprego do país. A alternativa ao emprego são os cursos de educação e formação para adultos.

Dívida: fundador do BPI defende «rápida união dos portugueses»

Artur Santos Silva culpa chanceler alemã pela subida dos juros da dívida.

Rioting fees protesters invade Tory HQ

Student protest sparks Tory HQ evacuation

A huge demonstration against tuition fees by tens of thousands of students and lecturers descended into violence today when a group of protesters smashed their way into the headquarters of the Conservative party.

A number of police officers were injured after they came under attack from youths, some wearing scarves to hide their faces, amid scenes of chaos. Eight people were taken to hospital with injuries after the violence flared at Millbank Tower, next to the River Thames in central London.

The demonstration, organised by the National Union of Students and the University and College Union, started peacefully, with up to 50,000 students, lecturers and supporters, marching from Whitehall past Downing Street and Parliament.

Student protest over fees turns violent

Protesters smash windows and get onto roof of Tory HQ as estimated 50,000 attend London rally.

CM Alenquer pondera devolução da tutela das escolas básicas ao Ministério da Educação

Tribunal de Contas preocupado com soluções encontradas para distribuição de portáteis

O Tribunal de Contas (TC) registou com “preocupação” as soluções encontradas no âmbito das e.iniciativas e recomendou ao Governo a divulgação periódica da execução financeira dos programas e.escola, e.professor, e.oportunidades, e.juventude e e.escolinha.

Palavras para quê? Responder para quê? Basta ver quem…

… talvez sejam mesmo menos, mas parece que pelo menos parte do que aqui se previu, graças a uma andorinha que passou pelo beiral do Arlindovsky, terá começado a chegar hoje às escolas.

A ser como aqui se anuncia, há adesivagens que vão ter de engolir mais uns sapos em seco. Aos meus colegas da reunião desta tarde, gostaria de dizer que não deito búzios, apenas digo alguma coisa se tenho uma dose razoável de certeza. Já em tempo da TLEBS…

É que estes disparates descredibilizam qualquer um e, por tabela, aqueles que o lá colocaram, recolocaram mesmo se em minoria e ainda dizem que ele é que é o menino d’oiro:

Portugal recupera «num único ano» o «essencial» das exportações, diz Sócrates

Um país que aceita ser assim governado e em que o maior partido da oposição sob pressão presidencial aceita cooptar um orçamento que se sabe não ir ser cumprido espera o quê?

… económico-financeira, político-institucional, mas principalmente ético-moral.

Associações de pais vão fundir-se em Azambuja

Como presidente de uma AP e vogal de uma Confederação de Pais pergunto a legalidade de tal proposta ou iniciativa, quando para se fundirem instituições legalmente constituídas, obrigatoriamente, terão de proceder à extinção das APs existentes.

Para extinguir uma AP terão de estar reunidos pelo menos 2/3 dos Pais. Tenho muitas dúvidas sobre a presença de um quórum desta natureza e como tal qualquer pai pode vir a impugnar esta decisão.

Pessoalmente sou de opinião que quanto mais AP’s existirem, maior é a participação dos pais, quanto mais associações existirem, maior é o serviço de cidadania.

Recordo também que as AP’s são as únicas entidades, parceiros educativos totalmente autonónomos e independentes do Ministério de Educação.

Não foram os pais que pediram a fusão de escolas, porquê fundirem as estruturas representativas de pais que legalmente existem?

As mega-escolas que falem com todas as AP’s. Esta é a sua obrigação. Os pais criarem uma mega estrutura representativa estão a prestar um mau serviço aos seus filhos e educandos e vão de encontro ao que o Ministério da Educação quer.

Alguma dúvida ou esclarecimento adicional, contactem. Obrigado.

Rui Martins, CNIPE e Apeagesatao

… porque depois dizem que estou perturbado e que só gosto de malhar.

Fenprof defende substituição imediata do modelo de avaliação de desempenho

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) defendeu hoje a substituição imediata do modelo de avaliação de desempenho docente, alegando que a sua inadequação e complexidade vão criar graves dificuldades de funcionamento às escolas.

Por favor, tende respeito por vós próprios. Olhem… em coerência… recusem o vosso modelo de avaliação

Food from the forest

Um dos maiores e mais poderosos feudos naquela cartografia improvável entre a Educação e o Trabalho estende os seus tentáculos reclamando vassalos.

A ideia até pode(ria) ser boa. A prática totalitária, mas coerente com os seus mentores, é que…

Desempregados podem perder subsídio se recusarem programa Novas Oportunidades

A PROPÓSITO DE GAUDI

Página seguinte »