Juízes penalizados decidem legalidade de corte salarial

São 408 os juízes no topo da carreira que vão perder 550 euros com decisão do Governo de reduzir vencimentos,
O Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE) garante que o corte nos salários da Função Pública é ilegal e vai pedir audiências a todos os grupos parlamentares para solicitar a inconstitucionalidade da medida, caso esta seja aprovada na Assembleia da República. O sindicato admite seguir para os tribunais administrativos e Constitucional para revogar a medida, onde serão os juízes, que também sofrem cortes, a decidir. Os 408 juízes no topo da carreira perdem 550 euros mensais.

O presidente da Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP), António Martins, assume que os funcionários do Estado estão perante “um imposto encapotado” que não respeita a Constituição e que os funcionários poderão recorrer aos tribunais administrativos para impedir o corte nos salários, onde os juízes decidirão, apesar de também serem atingidos pela medida.