… e por todos aqueles que as faculdades de raciocínio vão perdendo.

Sacrifícios “não são incomportáveis”

Almeida Santos disse que os sacrifícios que estão a ser pedidos aos portugueses “não são incomportáveis” e salientou que “as crises não são só dos governos, são também do povo”.

“Os sacrifícios que estão a ser exigidos ao povo não são sacrifícios incomportáveis. Oxalá que o país nunca tenha que enfrentar sacrifícios maiores”, afirmou, sublinhando que “as crises não são só do Governo, são do povo e o povo tem que sofrer as crises como o Governo sofre”.