Sexta-feira, 17 de Setembro, 2010


Wolf Parade, I’ll Believe in Anything

Em tempos, foi por aqui recuperado da História e redefinido de forma mais ou menos consolidada – para uma melhor vinculação cognitiva – o conceito de adesivo (ou adesivado), ou seja, aquele(a) que sendo o mais possível contra o ME e as políticas do mandato anterior, mal se anunciava um novo decreto regulamentar da avaliação desatava logo a elaborar grelhas. Ou então que, embora estando sempre pronto par5a uma passeata por Lisboa, depois, na proximidade, se destacava por um postura de cautela e caldos de galinha, conforme a direcção dos ventos.

Ora bem, o encavalitado tem alguns pontos de contacto com o adesivo – nomeadamente na forma flexível de assumir posições – mas caracteriza-se por estar fora da docência propriamente dita, ou então estar fora da docência no ensino básico e secundário. Pode ser político, pode ser mero opinador, pode ser académico, pode ser muita coisa. Mas, na essência, caracteriza-se por estar fora do conflito propriamente dito, nada arriscando, não sendo parte aparentemente interessada e, por isso mesmo, mais merecedor de uma epidérmica admiração por parte dos docentes quando decide(iu) assumir posições em defesa daqueles contra o ME. E, se possível, gritando mais alto do que o vizinho do lado e carregando na adjectivação como se substantivos escasseassem. Mesmo quando isso acontece(u) ao arrepio de posições anteriores, mesmo que impressas em letra bem visível em jornal, revista ou livro clássico. Tudo justificado em nome de uma evolução das posições.

O encavalitado foi e/ou é, alguém que fez os possíveis por cavalgar a onda quando ela parecia enrolar, encapelada, em direcção à praia, encavalitando-se nos ombros dos professores – qual Newton – para vislumbrar tudo mais longe e indicar o caminho. Até ao momento em que… as coisas começaram a mudar e a evolução retomou o seu curso, invertendo a direcção das posições. Mas ao encavalitado isso não atemoriza porque, vendo mais longe, está sempre em situação de, a qualquer momento, explicar que fez o que fez, sempre atendendo a um desígnio maior que, sendo fundamentalmente o que sente ser-lhe merecido pelo brilhantismo e coragem, saberá sempre apresentar como ao serviço da Nação.

O encavalitado, não sendo tão numeroso quanto o adesivo, não é, apesar disso, propriamente singular. Não sendo redutível a uma área política, não deixa de se concentrar de forma mais notória num certo e determinado sector do chamado espectro político, mesmo quando independente.

(continuará…)

Governo lança Tutor Virtual da Matemática

Objectivo é apoiar a aprendizagem desta disciplina

É favor escolher o modelo:

Estatuto do Aluno – mais documentos de apoio

Cinco escolas básicas estão a funcionar sem auxiliares

Cinco das sete escolas básicas de 1º ciclo do Agrupamento de Santiago do Cacém estão desde o início do ano lectivo sem auxiliares e vão continuar assim pelo menos mais um mês.

A escola básica de Cruz de João Mendes, que tem 16 alunos, é um dos estabelecimentos de ensino afectado, onde, por não haver funcionários, também não houve na primeira semana de aulas Actividades Extra-Curriculares (AEC).

Arguidos do caso EPUL condenados a prisão, mas com penas suspensas

O ex-vereador da Câmara de Lisboa Fontão de Carvalho e quatro ex-administradores da Empresa Pública de Urbanização de Lisboa (EPUL) foram hoje condenados pelo tribunal a penas de prisão entre um ano e seis meses e três anos, com pena suspensa, por co-autoria do crime de peculato.

Não sei se ouviram a notícia da TSF que deu destaque ao facto de na fundamentação da sentença de pena suspensa para Eduarda Napoleão se ter alegado que isso se devia à idade da ré. A reacção da dita cuja ainda foi mais… sei lá… cómica?

… ou não… tudo depende…

Liscont confirma busca da Judiciária e diz-se disponível para cooperar com as autoridades

A empresa responsável pela concessão e exploração do terminal de Contentores de Alcântara, a Liscont, confirmou, num esclarecimento enviado às redacções, ter recebido hoje nas suas instalações elementos da Polícia Judiciária.

How Wealth Can Strengthen Your Relationship With God

Ok… acho que muita coisa se explica…

O meu vencimento líquido este mês, enquanto professor do 5º escalão (do novo ECD, índice 235). Pode servir para análises sobre remunerações comparativas entre público e privado ao fim de 20 anos de serviço, um licenciatura, uma pós graduação (profissionalização), um mestrado na área científica e um doutoramento na área da Educação,  e para os éticos medíocres que se orgulham de receber 3000 por mês, trabalhando as mesmas ou menos horas.

Como se vê, longe dos 1700 que a boa vontade de uma criatura me atribuiu.

Se ganho muito? Talvez, olhando para a miséria que anda por aí…

Se ganho pouco? Certamente, olhando para a inanidade paga a peso de outro que anda por aí…

Assembleia da República – Petição do Movimento Escola Pública, redução do número máximo de alunos por turma e por professor. Projectos leis do PCP e do BE.
1ª parte:
0:18 PCP
3:07 BE
7:47 CDS-PP
.
2ª parte:
0:00 PS
4:40 PSD
9:51 PCP
Recolha e tratamento do Calimero Sousa. Eu estava em aulas a confirmar o fracasso da rede PTE na minha sala.

O que acho que deve ser cobrado directamente ao PSD e mesmo ao CDS é que, com os meios de que dispõem, não fizeram o necessário trabalho de casa, para calcular o impacto de uma medida destinada a reduzir o número máximo de alunos por turma.

Não chega pedir aos peticionários os elementos, esses serem-lhes fornecidos e depois refugiarem-se com o desconhecimento sobre o impacto de tal medida.

Por essa ordem de ideias deveriam ter chumbado o alargamento da escolaridade obrigatória para 12 anos, porque ninguém, mas absolutamente ninguém, apresentou os custos de tal medida. Mas sendo uma medida acertada, foi aprovada.

Esta também era. Encolheram-se. Que fique registado em acta.

Do PS já se sabia que o argumentário é de uma pobreza confrangedora, algo que comprovei in loco na Comissão de Educação do Parlamento, onde a deputada em causa fez uma intervenção que só teria ganho em não ser feita, de tanto rácio da treta que gosta de usar como único contraditório. Ao menos o deputado Nico ficou calado.

Entretanto, acredito que esta medida colha muitas acusações de despesismo. Infundadas, porque ninguém o demonstrou. Mas há pouco tempo a ministra falou em mais de 2000 burocratas espalhados pelos corredores do ME e das DRE. Mandassem metade de volta para as escolas e daria satisfazer esta pretensão.

Redução do número de alunos por turma sem apoio de PS, PSD e CDS-PP

(…)

A deputada socialista Conceição Casanova considerou que o número de alunos é “uma variável importante mas não é a única que determina o sucesso”, e classificando a medida “simplista” e “desenquadrada”, citou um relatório da OCDE segundo qual “Portugal é dos países com melhor rácio de aluno por professor”.

O social-democrata João Prata defendeu “não ser totalmente sério viabilizar sem mais” uma medida daquela natureza, mas no “respeito pela pretensão exposta na petição”, anunciou que o PSD irá abster-se.

O CDS-PP afirmou, através do deputado José Manuel Rodrigues, querer “ter a certeza que esta redução é possível”, dado os eventuais custos que acarreta, comprometendo-se a “avaliar neste ano lectivo a possibilidade de aplicação desta medida”.

Não há como esconder o que é óbvio. Alguém – terá sido um dos poucos actos autónomos da ministra? – teve uma péssima ideia ao colocar Isabel Alçada a falar ao país educativo como se fossemos todos aspirantes a leitores dos seus livros infanto-juvenis.

Como é que alguém que assim se dirige de forma tão impreparada em todos os aspectos, achando que basta sorrir para cativar e está tudo resolvido, tem credibilidade para algo mais do que assinar um acordo muito conveniente?

Vídeo da ministra é “ridículo e pobre”

Isabel Alçada faz sucesso no Youtube

O Encavalitado em Causa Alheia

Merece posterior aprofundamento e análise antropo-psico-sociológica, um pouco à imagem do adesivado, mesmo se este é menos notório e pode escorregar à vista desarrumada.

Neste caso é a confirmação do barrete enfiado ao PC e Bloco há uns meses, quando isto ficou prometido em troca de uma acalmia conjuntural, quando o PSD começava a subir…

Governo anula TGV entre Lisboa e Poceirão e terceira travessia do Tejo

Mas como o Centro Escolar é novinho, é capaz de doer menos.

Pais violentos agridem docente

Os pais de uma criança que frequenta o Centro Educativo de Samora Correia agrediram ontem de manhã, violentamente, uma professora com cerca de 50 anos que lecciona naquele estabelecimento de ensino.

Bruna Real vai dar aulas

Bruna Real já foi colocada. A docente que foi afastada de leccionar e proibida de estabelecer contacto com as crianças de uma escola em Mirandela depois de se ter despido para a ‘Playboy’ vai dar aulas de Expressão Musical, Plástica e Dramática ao 1º Ciclo do Agrupamento de Escolas D. Luís de Ataíde, em Peniche.

Cartoon de Gary Markstein

A fenprof, lá no poiso deles, diz que está incomodada com o regresso da perturbação às escolas, com umas cenas municipais, com uns números e com o costume da frente polisário.

Rua Fialho de Almeida, nº3, Marrocos.