Acho que é – mesmo evitando ao máximo – das conversas de Verão, aquela conversa mole, carregadinha de lugares-comuns, coisas que ficam entre o provérbio para toda as estações e o horóscopo da Maya ou o oráculo da Dica da Semana.

Vai daí e estou com vontade de sacudir esta pasta mental que nos vai cobrindo sempre que é necessário justificar a inacção, sob a aparência de algo que se deveria mesmo fazer, mas não se faz porque a unha encravou à última da hora. Acho que, em acumulação, estou a desvincular de geração, mas não sei em que sentido. Ou isso, ou é a velhice mental a instalar-se e o tédio que se lhe associa. Em língua mais amaneirada, ainda se me dá um spleen que não se pode.

Não sei, não, mas acho que o Fafe ainda se arrisca a ser o postador mais cordato e fofinho aqui do lugar. Sinto-me áspero e não é de faltarem apenas oito dias.