Professores entre os que respiram mais oxigénio

Estudo feito em parceria entre isqueté e a universidade de valparaíso d’ermelhas demonstra que, devido à formação acrescida dos professores de Ciências e Educação Física nestas matérias, a classe dos docentes está entre as que mais oxigénio consome por dia, podendo estar na origem de uma maior rarefacção do ar respirável pelo resto da população.
A Inspecção-Geral da Saúde está já a preparar medidas para obviar a esta situação, enquanto no Ministério das Finanças se estuda a possibilidade de criar uma taxa para estes consumidores.
Convidados a comentar esta notícias, as fontes que serviram para a elaborar optaram por não comentar.