Mas então não é que eles têm estatísticas em que não contabilizam nos ratios o pessoal que não dá aulas? É só ler a pequena nota de rodapé e percebemos logo como se fazem as contas de modo sério.

Claro que por cá se mistura tudo porque dá jeito para atirar para a opinião pública. E depois é estranho que os ratios oficiais de cá parecem muito vantajosos para os professores, até eles chegarem à porta da sala e verem os 25 ou 28 à espera deles e não os 8 ou 10 que lhes dizem que têm… 👿