Mais um exemplo de como se ocupa espaço mediático e de discussão com algo perfeitamente ao lado do que deveria estar a ser tratado. Em épocas de crise, há sempre a tentação de derivas musculadas. Só que esse não é o melhor tempo para raciocinar e reagir com a ponderação indispensável para tratar de questões fulcrais do regime político. Antes lidarem com os problemas quotidianos da maioria da população de uma forma não coreográfica.