não há o bálsamo dispersado nas perturbadoras vigílias
que fosse pousado na infinidade surda do lugar
da noite decorrida impura apenas muito longe
 
eu sei
 
ouvir o som do retinir de qualquer cristal fracturado
onde se elevam os dormires dos mundos difíceis
nas visões que não haveremos de beber ou observar
 
os púrpuras incisivos e as outras cores que circulam lentamente
referem-se só à origem do poema desde o seu único início