Não sei se sou eu que tenho de repensar o que escrevo, se serão outros a ter de repensar com quem negoceiam…

Concurso extraordinário para 2011 dependente de autorização de Teixeira dos Santos.

O Ministério das Finanças considera, para já, “prematuro” revelar se vai autorizar o concurso extraordinário de 2011 para a integração de professores contratados nos quadros do Ministério da Educação, um compromisso assumido pelo Governo durante as negociações com os sindicatos sobre a carreira e a avaliação docente. A condicionar a decisão está a contenção orçamental. Para toda a administração pública está previsto o congelamento de novas admissões, ficando todos os novos concursos de ingresso dependentes do “sim” do ministro das Finanças, Teixeira dos Santos.

Já se percebeu que se nada for conseguido, Teixeira dos Santos é que passa por ser o mau da fita e os acordadores desresponsabilizam-se de quaisquer culpas ou má-fé.