Acabo de saber por telefone – estive por fora parte da tarde – que o secretário de Estado da Educação foi ao Parlamento anunciar que a nova versão do ECD vai ser publicada amanhã, respeitando os termos do acordo de princípios com alguns sindicatos, mas que o novo regime de carreira dos professores tem de respeitar a lei 12-A/2008.

Ou seja, o ECD de pouco serve como estatuto específico de carreira. Desaparecem os quadros de agrupamento e escola não agrupada e os mapas de pessoal vão ser aplicados às escolas e agrupamentos. Triunfou a indiferenciação. Parabéns ao Governo. Neste momento, aguardo com curiosidade a reacção dos sindicatos signatários que acabam de ser embarretados até aos pés… porque eu ouvi directamente de alguém que isto tinha sido evitado pelo acordo e quando os sindicatos reagiram à versão do ECD que incorporava esta questão.

Afinal o ECD pode ser o que for, porque…