… a equipa do ME negociou sem saber com o que podia contar. Na prática, que negociou de boa fé, mas que terão sido enganados pelo resto do Governo, a começar pelo PM e pela equipa das Finanças.

Mais extraordinário, o SE Ventura dá a entender que no Governo existiam ministérios – como o da Educação – que não conheciam em Janeiro os contornos do Orçamento de Estado, o que me parece…

A declaração tem contornos pungentes e está na acta de 10 de Fevereiro:

Em meu entender, depois desta reunião, em que o SE Ventura se mostra de uma amabilidade extrema para com a Fenprof em diversas passagens,  já é perfeitamente óbvio que nada vai ser conseguido no (para todos os efeitos já supérfluo) processo negocial.

O que me espanta é que tenha continuado como se não acabasse de ter sido admitida a incapacidade do ME para garantir fosse o que fosse.

É a partir daqui que a coreografia negocial se tornou total.

Aqui já era perfeitamente perceptível que nada viria a ser conseguido para além do que estava escrito no acordo.