Famílias cortam no ‘super’ e farmácia, não em telemóveis