Passo 1 – Contabilizar os professores dos quadros colocados em serviços do ME, outros organismos do Estado, autarquias ou instituições privadas, desde que tenham vínculo oficial ao ME.

Passo 2 – Contabilizar os professores dos quadros que leccionam horários completos e/ou incompletos, por redução da componente lectiva.

Passo 3 – Contabilizar professores contratados que apenas têm 6, 8, 10 ou 12 horas, porque apanharam alguns restos de horários nas cíclicas ou contratos de escola.

Passo 4 – Contabilizar os professores que estão sem componente lectiva ou que passaram a estar de baixa por motivos de saúde, maternidade, etc.

Passo 5 – Contabilizar os professores contratados para ocupar o lugar dos anteriores, embora essas horas pudessem ser distribuídas pelos professores referidos em 3 ou mesmo em 2, com pagamento poucas horas extraordinárias.

Passo 6 – Somar tudo, mesmo duplicando ou triplicando lugares, para depois fazer o cálculo do rácio e comunicar á comunicação social e à OCDE.