Sexta-feira, 4 de Junho, 2010


Elvis Costello, Deep Dark Truthfull Mirror

Boa tarde Paulo.

Desculpe estar a incomodar, mas sobre a realização dos exames por alunos do 8º ano há algo que as pessoas se estão a esquecer.

As aulas do 8º ano terminam dia 18 de Junho (sexta-feira). Segundo o GAVE os alunos fazem os exames de LP e Matematica na segunda chamada, que se realiza a 23 de Junho (4ª feira) para LP e a 25 para Matemática.

Ora , entre 18 de Junho, sexta-feira, e 23 de Junho, quarta-feira, há que fazer reuniões de conselho de turma, há que chamar encarregados de educação para darem o parecer sobre avaliações extraordinárias, há que realizar Conselho Pedagógico para decidir sobre as avaliações extraordinárias, há que afixar as pautas, os alunos têm que se inscrever para os exames e para finalizar, de acordo com a legislação, as pautas de chamada para os exames têm que sair 48 horas antes da realização dos mesmos. Se alguém me explicar como é que tudo isto se faz eu fico esclarecido.

Atentamente,

A. A.

É um menino saudável, com 3,100 kg, olhos castanhos e já traz dois diplomas: um do 12º ano que pode usar desde os 17 anos  (16 se tiver 50% de assiduidade em metade dos anos da escolaridade obrigatória) e um de mestre bolonhês para usar desde os 22, mas que pode usar logo desde os 20 se fizer uma prova especial composta por duas partes, a primeira e a segunda para ordenar.

Imagem colhida aqui.

Recebi por mail de manhãzinha. Pedi autorização para publicar, o que ainda não recebi mas, dada a singularidade da situação, irei transcrever o testemunho em causa, eliminando todas as referências que permitam identificar a escola em causa.

Vamos ao que interessa: no final do ano lectivo anterior veiculou-se através da net que em ***** (concelho de um distrito acima do Mondego) havia duas escolas que se pautavam por práticas estranhas: uma na questão dos requisitos para a avaliação de professores dentro da escola e a outra no processo de eleição do Director.
Pois, esta semana, fiquei a saber que a estranheza continua, regista-se uma evolução na continuidade!
Numa daquelas escolas, na secundária, o director criou a figura de “professor adjunto”! PIOR: levou esta ideia a Pedagógico e foi aceite!!!
Tanto quanto pude apurar, esta figura é alguém que acompanha um professor para a sua aula para o “ajudar a tomar conta”, sem que ele peça essa ajuda e sem que tenha oportunidade de a rejeitar!!
É, portanto, uma imposição do Director e do Conselho Pedagógico que, a meio do 3º período, inventou que alguns professores passavam a ter alguém na sua sala enquanto dão aula. Critério puramente arbitrário, apenas secundado nos resultados escolares e em generalidades expressas nas actas dos conselhos de turma sobre comportamento dos alunos.

Esta figura não é um par pedagógico, porque os dois professores não preparam qualquer aula em conjunto. Ao designado professor-adjunto foi entregue, durante o 3º período, por uma funcionária, um novo horário e passou assim a integrar a aula do colega, sem poder rejeitar sob pena de incumprimento de serviço. Neste momento, há colegas a assistir a aulas de outros, a intervir na sua aula quando entendem e se entendem…
Pergunto:  a seguir o que vão fazer? Um relatório sobre o que viram?? Em que moldes? Com que legitimidade? Dada por quem??

Além disso, dizem-me os professores da escola que: neste momento se estão a criar cerca de 20 Regimentos, entre outros, o do tal “professor-adjunto”!!
Será isto aceitável??!!

Estamos agora sujeitos a loucos que inventam de noite e aplicam medidas de dia sem critério?? Foi para isto que se implementou um novo modelo de gestão: para loucos inventarem, imporem e darem ordens avulso???!!! Será que isto pega de estaca e qualquer dia as escolas viram pequenas PIDES com bufos??!!! Foi para isto que se deu o 25 de Abril? Foi para isto que mais de 100 mil professores foram para a rua o ano passado?? Para agora estarem a ser trucidados na própria casa pelos aprendizes de directores eleitos por agentes fora da escola e por colegas cuja legitimidade para actuar em sala de aula alheia é-lhe atribuída repentinamente???!!!

Então lutámos para acabar com a divisão da carreira e agora criamos dentro da escola categorias de professores??? Que gente é esta!!???
Não o vou maçar mais, mas não podia deixar de divulgar isto. Obviamente que ninguém me incumbiu de o fazer e não quero criar mal estar entre os professores daquela escola, mas não podia deixar de o fazer.

Pingue (documento com origem oficial com circulação ainda restrita):

Este processo de reorganização da rede escolar é feito em estreita articulação com os municípios envolvidos, parceiros essenciais não apenas na identificação das escolas cujo encerramento apresenta vantagens significativas para os alunos envolvidos, mas também na garantia de que são asseguradas as melhores alternativas e de que é montada uma rede de transporte escolar adequada.

Pongue (declarações de José Ganhão, vice-presidente da ANMP, no Sol de hoje):

Tivemos há um mês uma reunião com o Governo e estávamos a definir os critérios de encerramento das escolas. (…) Foi uma decisão unilateral, à revelia da negociação e que mostra má-fé.
(…)
É preciso que o Governo pague os transportes, garanta boas acessibilidades e aumentos os apoios da Acção Social escolar para fazer face às despesas das refeições que as crianças deixarão de poder fazer em casa.

… que tem uma Ordem de Trabalhos tão rica e flexível?

Fazer um exame para passar directamente ao 10º escalão?

Até podem ser 3 ou 4.

Até pode ser em regime transitório.

A bem da igualdade de oportunidades…

Página seguinte »