Sexta-feira, 28 de Maio, 2010


!!!, Must Be The Moon

Quanto à questão da manifestação de amanhã, há umas horas disse a quem me perguntou, em especial do DN, que há 90% de hipóteses de não ir. A esta hora talvez 95%.

Tribunal mantém suspensão da avaliação docente

A decisão de manter a providência cautelar pelo TAF de Beja é uma decisão interessante, já não digo pelo tempo em que surge, mas principlalmente por outras perplexidades mais gerais que desperta:

  • Sendo matéria de inegável urgência, porque será que nos restantes Tribunais não há decisões sobre esta matéria? E, sendo de urencia e gravidade, quando estará o TAF de Beja pronto para tomar a decisão quanto à acção principal?
  • Sendo uma decisão do TAF de Beja, qual a jurisdição exacta desta decisão? Os juristas definem que é para a área coberta pelo TAF, mas explicam se a decisão da suspensão (ou sobre a acção principal) pode ter uma validade nacional, se é aplicável a quem concorreu para essa área, se a partir dessa mesma área. Exemplificando: se um docente concorrer numa escola de Beja para Coimbra, a decisão aplica-se, caso o TAF de Coimbra decida de outra forma? E o vice-versa?

Perante isto, uma certeza eu tenho: um bom programa informático processa estas coisas em poucas horas, pelo que apenas os prazos legais para publicitação das listas e recurso dos candidatos estão em causa.

Mas, de qualquer modo, há questões cruzadas que podem – caso a decisão principal não esteja tomada dentro de um mês – levar à necessidade de anular este concurso.

É essa uma decisão interessante?

Sondagem coloca PSD à beira da maioria absoluta

O dilema que se coloca é se o PSD quer mesmo ser Governo no contexto actual. O argumento da estabilidade é muito útil para evitar governar numa situação muito complicada em que um governo de centro-direita desperta uma oposição muito mais vocal do que um do PS…

OCDE. Políticos admitem que não têm força contra os mercados

Lá tentarei estar.

A VERDADE DA PAIXÃO PELA EDUCAÇÃO (2)

Lembrete: estória do Agrupamento de escolas Inês de Castro/coimbra

Isabel Teixeira faz um lembrete do que se passa na Inês de Castro, coimbra: no final deste mês de Maio estamos prestes a festejar  o 1º aniversário de incumprimento ( em conformidade c o Dec75): não temos ainda o tal novo Regulamento Interno, nem tão pouco se vislumbra podermos fazer  eleições para o tal Conselho Geral!!! O Transitório, pelos vistos (que é o que temos tido), tem-se preocupado em ocupar-se de tudo menos do que deveria, conforme a Lei..Ah, temos uma Gestão, claro: um Conselho Executivo ( à luz do 115-A e que acabou por não ser pulverizado devido às 2 decisões em sede de Tribunal) mas  que tem ficado com a fama de não ter andado a  fazer nenhum nem na escola nem na Comunidade Educativa!!! Hehhehe.. É expectável: Coerência e Intervenção Urgentíssima da Tutela para repor a Seriedade neste Processo.. (que esta estória há muito que já me faz lembrar aquela do “coitadinho do crocodilo” , conhecem?) e quando eu escrevi “Nós” é mesmo “NÓS”! Entretanto o nº de subscritores de um Abaixo-Assinado que correu no agrupamento é Prova de que não estou a manipular  estatísticas ( como se faz aquando dos níveis de greve, no futebol e habituais: aqui era muito mais rápido contar pelos dedos quantos não o assinaram, desde o Pré-Escolar ao 3º Ciclo).

Isabel Teixeira/Profª do Quadro do Agrº Inês de Castro – coimbra