Sábado, 8 de Maio, 2010


O COSTA e o ZÉ

O Costa e o Zé são duas personagens típicas portuguesas.

Porém, a única característica que têm em comum é a vontade de vencer a qualquer preço.

Quanto ao mais, são só diferenças a distingui-los.

Ora vejamos:

O Costa não se importa de aparecer ao lado das namoradas, mesmo que tenham currículo de Cabaret; o Zé importa-se, ou simplesmente não tem namoradas.

O Costa não faz footing em lado nenhum, talvez por ter vergonha de mostrar as canetas; O Zé, sempre que vai ao estrangeiro, é fotografado , de canetas ao léu, a fazer o footing da praxe.

O  Costa , se quer corromper alguém, por exemplo um  árbitro, chama-o  a casa  e corrompe-o; o Zé tem sempre alguém, muito solícito, a fazê-lo por ele.

O  Costa expressa o seu pensamento  com ironia; O Zé não tem pensamento para poder expressar.

O  Costa manda sozinho, em equipa;  o Zé  manda, em equipa, sozinho.

O Costa não tem curso superior porque aos domingos vai sempre à missa; o Zé, esse,  tem um curso superior  tirado ao domingo.

O Costa é Costa e não Zé;  o Zé é Zé e não Costa.

Cunha Ribeiro

Eram 19.56 quando me anunciaram a chegada do organizador.

Uma boa comezaina a toda(o)s. Eu estou aqui agarrado a uma comunicação que era para entregar ontem. Literalmente.

E a partir de segunda lá vou para a faina das provas de aferição e tal…

We can easily become as much slaves to precaution as we can to fear. Although we can never rivet our fortune so tight as to make it impregnible, we may by our excessive prudence squeeze out of the life that we are guarding so anxiously all the adventurous quality that makes it worth living.

Randolph Bourne

Carregar na imagem para aceder ao relatório.

Até por ser de origem militar:

BLOGS V. FREEDOM OF SPEECH: A COMMANDER’S PRIMER REGARDING FIRST AMENDMENT RIGHTS AS THEY APPLY TO THE BLOGOSPHERE

Reparem bem neste caso de esquizofrenia comentarística, apanhada no filtro de spam do WPress. Apaguei parte do IP (falso, claro…) só para não existirem certas acusações.

Reparem ainda como num deles fez por simular a minha identidade bloguística, numa daquelas jogadas rasteiras do costume, só não sabendo que eu tinha alterado os meus dados de registo, o que fez com que ficasse barrado por estar exactamente a fazer algo um bocadinho abaixo de ético…

Como este há diversos outros casos…

A parte gira é a dos mails inventados para ser possível alterar o avatar. Mas já podiam ter perguntado a alguns camaradas blogueiros que sabem como o WPress funciona.

Não vale a pena dizer que foi censura, pois na mesma lista estavam retidos comentários da Olinda e do Buli,

Página seguinte »