Quarta-feira, 28 de Abril, 2010


Seinfeld

Six Feet Under

(The) Sopranos

Space: 1999

Há muitas mais, eu sei, mas ficam estas…

Em bicos de pés no Plano Inclinado, no Youtube, no canal do Blogdocão. A pedido de algumas famílias.

Enquanto espreito o catenaccio, versão mourinho.

Exmo. Sr. Director

Relembramos que, conforme consta do Manual de Validação da Candidatura Electrónica, página 33, ponto 4.5 – avaliação de Desempenho:

“Apenas concorrem com avaliação os docentes avaliados nos termos do ECD e dos decretos regulamentares nºs 2/2008, de 10 de Janeiro, 11 /2008, de 23 de Maio e 1-A/2009, de 5 de Janeiro, nos termos da alínea c) do artigo 14.º do DL n.º 20/2006, de 31 de Janeiro, na redacção dada pelo Decreto-Lei n.º 51/2009, de 27 de Fevereiro.”

Assim, a avaliação dos docentes regulamentada por legislação diferente da acima referida, não releva para efeitos da alínea c), do n.º 1 do art.º 14.º, nem da alínea a), do n.º 3, do art.º 16º do DL n.º 20/2006, de 31 de Janeiro, com a redacção do DL n.º 51/2009, de 27 de Fevereiro, pelo que a Escola de validação deverá invalidar os campos 4.5.1 e 4.5.2 que apresentem este tipo de avaliação.

Relembra-se ainda que a invalidação destes campos não implica a invalidação da candidatura.

O Director-Geral,

Mário Pereira

Nem as classificações dos Açores? E se não invalida a candidatura, como ficamos? Os candidatos que venham da Madeira mais ou menos na mesma ou como se não tivesse sido avaliados?

E os que venham dos Açores?

A mim parece que por aqui é que o ataque jurídico, caso a caso, a este concurso pode dar resultados.

Afinal, um país, três sistemas, leva à discriminação (por poucos que sejam) dos candidatos que tenham estado a leccionar nas regiões autónomas?

Absurdo no ensino e o sentido da vida

… era mesmo na conversa com uns amigos e zás

Vital Moreira espera que especuladores «partam os dentes»

O Fascismo e o Capitalismo especuladores, plutocratas e antipatrióticos não passarão. Ai que saudades de 75!!!

… que o obriguem a continuar, em especial num dia em que até foi à casa-mater. Ainda por cima para dizer estas coisas que são em forma de coiso e também do seu contrário.

Porque efectivamente, ou não, as faltas só aumentaram em casos pontuais, nomeadamente no caso dos alunos que faltaram. No caso dos que não faltaram, as faltas não aumentaram.

É o que parece, numa primeira abordagem. Ou não. Depende. Do que o Ministério pensa, porque o Ministério tem cérebro. Pelo menos em casos pontuais. Nos outros, parece que falta. Ou não.

Realce ainda para o facto do ME saber das faltas pelos parceiros. Quais? Os preferenciais ou os outros?

Provas de recuperação não levaram a aumento de faltas, diz secretário de Estado

O secretário de Estado da Educação, Alexandre Ventura, rejeitou hoje a ideia de que a existência de provas de recuperação tenha levado a um aumento das faltas dadas pelos alunos, admitindo que isso tenha acontecido apenas em casos pontuais.

“O Ministério da Educação não pensa assim e isso não lhe foi transmitido pelos parceiros”, disse à Lusa o governante, no final da cerimónia de entrega de prémios das Competições Nacionais de Ciência que decorrem até quinta-feira na Universidade de Aveiro (UA).

Alexandre Ventura admite, no entanto, que, em alguns casos, o facto de haver provas de recuperação se tornou um “factor de desmotivação acrescida”, referindo-se às chamadas “situações de fim de linha”.

No princípio da linha não há problemas porque o comboio ainda vai a ganhar balanço.

Eu continuo a achar que o SE Ventura fala esquisito. Mas é uma opinião. Daqui a pouco já aparece aquele comentador de serviço a dizer que não, que eu é que errei a leitura paleográfica das declarações.

… as pessoas interessam-se por coisas que extravasam, em muito, os rating e os pecs.

Por exemplo, em duas revistas sabemos que o Pinto da Costa trocou, pela 412ª vez aquela senhora com quem casou algumas vezes e que indágora organizou um jantar em sua homenagem, enquanto a filha arranjou namorado. Em outra sabemos que aquela actriz saiu novamente de casa, enquanto aqueloutro artista está muito afectado pela doença de alguém.

Em outras 3 ou 4 sabemos diversas novidades sobre a Rita Pereira, aquela rapariga que dois olhos para baixo é do mais giro que existe em matéria de capas de revista.

  • Ora bem, há uns dias tinha ultrapassado, pela 411ª vez a sua relação com o antigo namorado e tinha ido algures com um qualquer amigo especial
  • Agora consta que está à beira da depressão, ao que outra revista acrescenta que está farta de mentiras e pensa sair do país.

E o país, ele próprio, emociona-se…

Página seguinte »