Quinta-feira, 8 de Abril, 2010


‘Allo, ‘Allo

Anúncios

O Ilídio é contratado? Estava lá…

😉

Tu adoras aqueles corredores… Ainda acabas por lá…

Já agora, reparem no desinteresse da maioria dos deputados e no ar sobranceiro do outrora jovem Sérgio Sousa Pinto. Nada como fazer carreira por Estrasburgo para amolecer o carácter fracturante…

Home Computer Use and the Development of Human Capital

Who Benefits Most from College? Evidence for Negative Selection in Heterogeneous Economic Returns to Higher Education

A isto chama-se uma retirada em força da tradição eduquesa britânica da 3ª via…

Teachers can use physical restraint, says Ed Balls

Schools should not insist on a no-contact policy – physical force can be used to stop disruptive behaviour.

Teachers must not be afraid to use physical force to break up playground fights and should march disruptive pupils out of the classroom, the schools secretary said today.

At least one member of staff in every school should have expert training in restraint techniques, according to new government guidance.

Teachers have said they fear legal action from parents if they try to control badly behaved students physically, and say children have told them: “You can’t touch me or my mum will sue you.”

But Balls said it was a myth that schools had to insist on “no contact” with pupils, and staff should not face retribution if they intervened when children were out of control.

“A no-contact policy is not required by law, and is not good leadership,” he told the annual conference of the Nasuwt teachers’ union.

Não estou a defender ou apoiar… apenas a registar.

Um tipo lê e quer mesmo acreditar que estas sejam declarações factuais e não um qualquer juízo de valor. Eu acho que a conflitualidade só ocorrerá, ou ocorrerá em maior escala, se a transparência das classificações se revelar curta.

Se é verdade que de acordo com o ECD a avaliação é confidencial, não é menos verdade que esse é um erro tremendo ou então uma artimanha para ocultar os abusos.

Fenprof: acesso a avaliação aumenta conflitos

Estatuto da Carreira Docente estabelece que o processo de avaliação de desempenho tem «carácter confidencial»

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) considera que o acesso por qualquer pessoa a documentos da avaliação de desempenho pode trazer transparência ao processo, mas ao mesmo tempo agravar o clima de conflitualidade entre docentes nas escolas, avança a Lusa.
Segundo um parecer da Comissão de Acesso aos Documentos Administrativos (CADA) o processo de avaliação do desempenho dos professores pode ser consultado por qualquer pessoa, desde que não contenha informação da reserva da intimidade do docente.

Página seguinte »