Há muito comentador de parapeito de janela que gosta de afirmar que os professores só estão preocupados em não ser avaliados e que quando negam isso estão a faltar à verdade apenas para serem politicamente correctos.

Há quem considere que este é um blogue frequentado na sua larga maioria por professores e que até albergará quase que uma espécie de milícia quase armada (há quem diga a um nosso comentador por bandas do Twitter que até têm receio de aqui comentarem, mesmo se espreitam com regularidade) radical.

Logo, seria de esperar que nesta sondagem, anónima, sem controle nenhum quanto a quem escolhe o quê, os resultados indicassem tal radicalismo.

A verdade é que desde ontem à noite (a sondagem continua aberta) os resultados são os que se seguem:

Em seis opções, as da avaliação dos alunos e professores são as que ocupam o fundo da escala?

Surpreendidos? Eu não, porque detesto alinhar em clichés se estou a par do que preocupa efectivamente quem anda pelas escolas.

Não é que o modelo de ADD seja negligenciável, mas a verdade é que a reforma curricular e a mudança no modelo de gestão são preocupações bem maiores.

Só que o primeiro desses aspectos está a avançar sem consulta às bases por parte da tutela – nem sequer o Conselho de Escolas estruturou uma proposta clara – e o outro ainda nem sequer começou a ser renegociado.

Quanto tantos clamam pelo desenvolvimento de uma cultura democrática, seria interessante reparar como é a actual falta dela nas escolas que mais preocupa os professores, logo a seguir a preocupações de carácter pedagógico, que ocupam o primeiro lugar.

Estranho?

Só para rangéisemídios, sousastavaresmiguéis e aqueles outrora muito visíveis arautos das políticas da anterior equipa do ME que tanto zurziam nos professores por só se preocuparem com o seu dinheirinho e privilégios.

Será que nunca entenderão que a nossa escola não é há muito a escola que (v)os traumatizou em imberbe idade?