Qualquer cidadão tem direito à opinião. Certo. Correctíssimo.

Mas será que Marinho Pinto não entende, nem que seja por um escasso momento quando fala, que ele ocupa uma posição institucional que, bem ou mal, só não vincula toda uma classe profissional porque já se percebeu que ele é um loose-canon alinhado com o poder que está?

Ou será que no aparelho judicial – sim, os advogados fazem também parte dele – só ele consegue ver mais além?

Ver para além das decisões favoráveis ao PM do topo da hierarquia judicial? Mas do que é que este homem fala quando se sabe, de forma comprovada, que aquele senhor que foi promovido ao Eurojust andou a pressionar os investigadores?

“Poder judicial está empenhado em derrubar o primeiro-ministro”, diz Marinho Pinto