Deixando de lado a questão nacional, porque no fundo pouca diferença se notaria em matéria de governação, como ficaria a coisa docente (carreira+avaliação) se o governo ficassse em mera gestão e o acordo não passase a letra de lei? Já imaginaram?