E se por cada cruz, ou declaração, que colocamos num plano a solicitar que o encarregado de educação verifique o caderno diário do aluno e, até mais do que ajudá-lo, que o faça estudar e trabalhar para uma ficha de avaliação marcada com a devida antecedência, pedíssemos que o encarregado de educação em causa rubricasse o caderno do seu educando, pelo menos semanalmente?

Como é que podemos, em consciência, dizer que um plano foi cumprido se isto (e muito mais coisas) não tem forma de ser verificado nos moldes actuais?

Eu tenho um aluno que está, como se diz, institucionalizado. Todas as aulas eu assinalo numa caderneta se ele trouxe material, como se comportou e faço a minha rubrica a validar o registo.

Para quando algo semelhante para preencher à saída de casa de uma criança ou jovem  a caminho da escola?

  • Cadernos: conferido!
  • Pelo menos o manual de uma das disciplinas do dia: conferido!
  • Material para escrever: conferido!
  • Senha de almoço ou lanche: conferido!
  • Roupa adequada à estação e não à moda do momento do rabo ao léu: conferido!

Eu sei que nem sempre a vida actual permite que actos simples como este sejam considerados normais. Por vezes são mesmo um luxo. Mas isso é culpa da Escola ou dos engenheiros, sociólogas, valteres e albinos que clamam pela escola a tempo inteiro como panaceia para calar o lumpen?