Seria penoso demais alinhavar citações do António Barreto anti-caciques locais e desacreditador da transparência do poder local. Mas é nisto que dá a postura de senador algo diletante e planador por sobre a realidade, vista assim de longe-longinho, como que se de uma miragem se tratasse:

António Barreto defende entrega do ensino básico e secundário ao poder local

O sociólogo António Barreto defendeu hoje que o ensino básico e secundário deviam ser entregues à responsabilidade das autarquias.

Porque estas pessoas quando falam do centralismo e tal, parece que se esquecem que vivem em Portugal, um país mais pequeno que a generalidade dos estados americanos e com uma população pouco superior à da cidade de Nova York.

Já se falarmos em descentralizar competências directamente para as escolas, em especial com órgãos de gestão eleitos de forma democrática, começa a arrepiar-se-lhes a sensibilidade.