Ainda hoje uma colega em exercício numa escola das cercanias de Braga me contava como alguém, nos serviços administrativos, inventou uma regra estranha em que o ano sabático tem três anos para a fazer permanecer no índice 151 pelo 4º ano que está nos quadros, após ter feito a profissionalização nos dois primeiros. E o artigo 31º do ECD que se lixe.

Escolas geram desigualdade nos salários

Algumas escolas portuguesas não cumpriram as novas regras sobre os estágios. Há docentes que vão receber mais 200 euros que outros com a mesma formação, contratados na mesma altura.

Mas este foi um dos aspectos do grande legado do mandato anterior: o total desnorte sobre o que fazer em circunstâncias semelhantes, tudo ao sabor de secretarias, direcções ou direcções regionais, conforme o sabor e humor do momento.

Tudo à cata do tostão do professor mais distraído ou indefeso.