Caro Paulo Guinote,

É altura de começarmos a apresentar  situações concretas das vantagens deste acordoassinado entre os Sindicatos e o Ministério. Vejamos o regime transitório e vejamos, também,a minha situação particular. (Como não disponho de dados gerais, não pertenço à direcção denenhum Sindicato nem à equipa do Ministério da Educação, só posso partir do meu casoconcreto).
Tenho 24 anos e sete meses de serviço lectivo, considerando o ano de 2009. Tenho sete anosde permanência no índice 245. Descontando os 28 meses do congelamento, ficarei posicionada no novo 6º escalão, onde terei de permanecer mais quatro anos até aceder, imaginemos que consigo à primeira, ao escalão seguinte. No total, permaneço onze anos no índice 245!
Qual é a moral de uma lei que me penaliza duas vezes pelo mesmo factor? Eu explico, nãoacedi ao índice 299 porque estava congelada e não avanço, novamente, porque no passado estive congelada. Parece justo? Parece negociável e passível de acordo?
A.