Sócrates defende que requalificação das escolas é uma forma de combater a crise

O primeiro-ministro defendeu este sábado que o investimento público que está a ser feito na requalificação do parque escolar é uma forma de combater a crise e aumentar o número de postos de trabalho. José Sócrates convidou mesmo os portugueses a visitar as escolas.

Então vamos lá a isso:

“Garcia da Orta” cai aos pedaços

Tombaram tectos e portas na escola renovada

Queda de tectos, fugas de gás e infiltrações de água estão a assustar os alunos da Escola Secundária Garcia de Orta, no Porto. Os incidentes sucedem-se, em pavilhões inaugurados no ano passado, e a Parque Escolar anunciou uma auditoria externa.

A descrição de tudo o que tem acontecido nos pavilhões estreados este ano lectivo ocupa meia folha A4 e, para a Associação de Pais de Pais e Encarregados de Educação da Garcia (APGO), que ontem promoveu uma conferência de Imprensa à porta da escola, o que está a acontecer “não tem explicação e são falhas gravíssimas num equipamento novo”.

Curto-circuito encerra escola na Guarda

A Escola Secundária Afonso Albuquerque, na Guarda, foi evacuada esta sexta-feira de manhã devido ao risco de incêndio que teve origem numa avaria nos quadros eléctricos da escola.

Em declarações à Lusa, o coordenador do serviço municipal de Protecção Civil, Granja de Sousa, afirmou que a evacuação ocorreu com normalidade e que se prevê “que ainda hoje o problema fique resolvido pela EDP, ao nível  do exterior, e pela escola, na parte interior, ao nível dos quadros eléctricos  que colapsaram”.

(…)

A escola está em obras ao abrigo do Programa de Requalificação do Parque Escolar, que engloba a construção de dois novos blocos e de um pavilhão desportivo, bem como a recuperação dos edifícios já existentes.

Soares dos Reis precisa de material

(…)

É o subdirector da instituição, José António Fundo, que denuncia a situação, ao JN, explicando que é preciso os professores “fazerem das tripas coração” para conseguirem dar aulas. Em causa, segundo o docente, está “a responsabilidade da Parque Escolar que, unicamente, requalificou e modernizou a antiga escola secundária Oliveira Martins”.

“Por mais que a parceria com a Parque Escolar tenha sido essencial para a mudança da escola da Rua da Firmeza, esta não é responsável pelos equipamentos”, afirmou José António Fundo. “Embora a escola tenha uma reggie com os materiais mais modernos, os alunos têm apenas à disposição uma única câmara de vídeo”.

Gil Vicente com projecto estranho, má construção e fiscalização nula

Secundária da Graça foi abrangida pelo programa de modernização, mas a comunidade escolar sente-se defraudada com a qualidade dos trabalhos.

Ninguém assume a responsabilidade, pelo que é exposto, por péssimos projectos e construção, iniciada em Julho de 2008. A dona da obra é a Parque Escolar, sociedade de capitais públicos constituída para coordenar a renovação das escolas, que até 2011 abrangerá mais de 200 obras e gastará 1200 milhões de euros. A fiscalização compete ao Ministério da Educação, que até agora, segundo o conselho geral do Gil Vicente, nada fez.

Sempre que chove, a água cai nos soalhos de um dos novos edifícios já em utilização na escola secundária com 2º e 3º ciclos de Gil Vicente, na estreita Rua da Verónica, que sobe desde o Campo de Santa Clara até ao Largo da Graça, em Lisboa. A comunidade escolar sente-se incomodada e os corpos directivos e o conselho geral dizem-se impotentes para resolver a situação. Esta, e muitas outras, pois o rol das queixas escorre em 12 páginas. Vai assinado pela direcção, conselho geral, associações de pais e estudantes. Inclusivamente, já foi apresentado no Parlamento pelo PCP.

Mas há mais…

Se espiolharem bem, é mais grave do que o Magalhães