Já tinha lido em papel, hoje está online, a crónica da semana passada de Inês Pedrosa na Única onde perora sobre Educação misturando algumas ideias correctas com juízos de valor atabalhoados e mal informados. Depois há sempre uma carga inevitável de erros factuais que já nem interessa corrigir (como tratar as áreas não disciplinares como áreas não curriculares) e de apreciações apresadas (a dos professores já se sentirem estimulados).

Quanto à necessidade deo Min. Educação dar prioridade a assuntos efectivamente educativos, concordo. Já há algum tempo que acho que nas negociações sobre o estatuto, carreira e avaliação, deveriam estar representantes apenas do Min. Finanças.

Mas quanto à crónica de Inês Pedrosa, eu diria que é no geral mainstream e dá cá o meu e no particular pouco fundamentada. Não sei se lhe dê Regular se Bom para a estimular. A fazer melhor, é evidente.