Sábado, 5 de Dezembro, 2009


Os Golpes, A Marcha dos Golpes

Os novos Heróis do Mar.

Mais um caso em que a Razão acabará por prevalecer…

De: Olinda Azevedo (DREN) [mailto:olinda.azevedo@dren.min-edu.pt]
Enviada: segunda-feira, 30 de Novembro de 2009 10:37

Assunto: [SPAM] FW: Avaliação do desempenho docente

Exmº. Senhor

Professor

Junto envio a resposta do Director da escola a cujo quadro Vª. Exa. pertence, relativamente ao pedido de informação solicitado.

Com os melhores cumprimentos,

Olinda Azevedo

Direcção Regional Educação do Norte

EMAGRHEquipa Multidisciplinar de Apoio à Gestão dos Recursos Humanos

Rua António Carneiro, 98
4349-003 Porto
Telefone  Geral          225 191 900
Fax                          225 191 999


De: Fernando Filipe de Almeida [mailto:fernando.f.almeida@sapo.pt]
Enviada: domingo, 29 de Novembro de 2009 21:21
Para: Olinda Azevedo (DREN)
Assunto: Re: Avaliação do desempenho docente

Drª Olinda Azevedo

Informo V.Excia que o docente em causa e todos os outros em idêntica situação, serão avaliados nos prazos previstos, seguindo como sempre, as orientações do Ministério da Educação.

Com os melhores cumprimentos.

Fernando Almeida

(Director do Agrupamento de Escolas de Vila Flor)

Há pelo menos um par de situações anómalas que estão a marcar a vida de algumas escolas e agrupamentos, podendo mesmo acontecer que ocorram em sobreposição.

  • Uma delas relaciona-se com a resistência de alguns órgãos de gestão em avaliar os docentes que entregaram a sua auto-avaliação, sem terem entregue objectivos individuais. Parece que em alguns casos são sensíveis ao que ouviram dizer na televisão (quando o ex-SE Pedreira gesticulava), mas agora parece que desconhecem o que é dito pelo mesmo meio pela actual ministra. PArece que precisam de receber um faz ou mail a especificar que devem inverter as suas práticas próximas do abuso de poder. Mais grave, ao atrasarem a divulgação de tais classificações, comprimem artificialmente o período de recurso sobre as mesmas, parecendo desconhecer que o prazo de 31 de Dezembro de 2009 – não tendo havido suspensão da ADD – é para todo o processo e não para divulgação das classificações. Estarão tais directore(a)s conscientes de estarem a não cumprir a lei a que mnostraram tanto apego em outras alíneas’ Já é pacífico, o que outrora foi problemático: os OI não eram obrigatórios e não era uma circular da DGRHE que podia revogar um artigo do ECD.
  • Outra situação é de outros (os mesmos?) directores que decidiram que o segundo ciclo de avaliação deve decorrer tal como o primeiro e começaram a exigir a entrega de OI (irra que são nhurros!!!) e calendarização de aulas assistidas, mais umas coisitas apensas. Acho da mais extremosa e anacrónica adesivite, esta dedicação ao cumprimento de um modelo de ADD em estado comatoso, com certidão de óbito pré-datada e já assinada e comunicada publicamente a todos os interessados, excepto – ao que parece – a este grupo de apegados crentes de uma necrofilia avaliativa. Eu sei que desta vez estou a abusar um pouco no negrume da verborreia, mas este tipo de manifestações retardadas de amor a um cadáver sempre me deram uma certa dose de arrepios, mas daqueles maus, parentes dos que me visitaram aquando da gripalhada do início da semana e não daqueloutros que…

Fui avisado na 4ª feira à noite, mas só hoje ao fim da manhã lá cheguei.

A Bucholz a liquidar tudo a preços verdadeiramente da uva incontinente.

Mas quando lá cheguei já tinha sido tomada de Assalto por uma horda impiedosa de viciados em livros que lhe limparam milhares e milhares de livros, certamente a imensa nata do que foi ficando por aquelas salas e depósitos nestes anos que a conduziram à falência.

Uma fila enorme para pagar, sacos e sacos de livros, tanta gente que fez falta e só chegou para debicar os despojos. Como eu, que a visitei de modo muito irregular nos últimos 10-12 anos, depois de entre meados de 80 e meados de 90 ser paragem obrigatória todas as semanas.

Mas eu já só apanhei mesmo os despojos. Mesmo assim com alguns nacos suculentos. PAra recordar outros tempos em que andava de modo mais miliante por estas temáticas.

Vodpod videos no longer available.

more about “Plano Inclinado Ensino Básico e Secun…“, posted with vodpod

Sempre defendi e defendo!

Uma verdadeira Avaliação de Professores começa com a Formação INICIAL.
Ou seja, no início da Carreira um Estágio FORMATIVO e SELECTIVO faria o Crivo entre os que devem ou não ingressar na Carreira. E isso não se faz com Exames, mas com Provas dadas e supervisionadas por um ORIENTADOR DE ESTÁGIO e pela UNIVERSIDADE responsável, durante um ano de trabalho no terreno. (Recordo o Modelo de Estágio Educacional, agora com critérios mais exigentes, que selecionassem os que têm competências profissionais: competencias TÉCNICAS, RELACIONAIS E ÉTICAS). Depois, uma acompanhamento de Professores/Avaliadores externos à Escola, organizados pelos CENTROS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES de cada Concelho, as existentes Associações de Escolas, que garantiriam uma AVALIAÇÃO FORMATIVA e se queisermos SELECTIVA.

Seria mais fácil, porque as estruturas existem e permitiriam uma AVALIAÇÃO EXTERNA e coordenada entre a ENTRADA na Profissão e CONTINUIDADE PROFISSIONAL, numa lógica de adaptação e de desenvolvimento Profissional.

Simples!
Este é o Modelo que defendo!

Recuperem o estágio Educacional dirigido pelas UNIVERSIDADES e a AVALIAÇÃO CONTÍNUA orientada pelos Centros de Formação, com critérios RÍGIDOS, mas igualmente FORMATIVOS!

Luís Mourinha

Página seguinte »