Para além do relançamento de uma publicação já lançada oficialmente há três meses, a equipa político-comunicacional do Ministério da Educação tenta contra-atacar agora coma apresentação de um ainda muito pobre, em termos de materiais e se é para acreditarmos que é um dos «projectos-chave do Plano tecnológico da Educação», Portal das Escolas que não se percebe bem o que pretende ser… cruzamento entre o site central do ME e o da DGIDC? Uma espécie de espaço de um novo Instituto de Inovação Educacional, do qual só resta o espólio bibliográfico online?

A verdade é que não se percebe muito bem o que pretende especificamente ser, para além de ocupar uma ou outra parangona em tempos de crise total de credibilidade da 5 de Outubro.

Portal das Escolas foi apresentado hoje pela ministra da Educação

(…)
“Na primeira fase, o Portal das Escolas dirige-se sobretudo aos docentes, disponibilizando-lhes o acesso sem custos a um repositório com recursos educativos digitais, para o qual os próprios podem contribuir com conteúdos da sua autoria”, lê-se no site do projecto que se assume como “a maior rede colaborativa em linha da educação em Portugal”. O grande objectivo é fomentar “a produção, a partilha e a utilização de conteúdos digitais pela comunidade docente”.

Na cerimónia de hoje foram ainda assinados dois protocolos de cooperação do ME com os canais de televisão RTP e a SIC, que deverão disponibilizar conteúdos para acesso através do portal.