… ou talvez não.

Como é que Comissões Administrativas Provisórias nomeadas pelo ME, que tanto afirma que «a lei é para cumprir», e que vieram substituir órgãos de gestão com essa base teórica, agora aceitam a entrega de OI fora do prazo anteriormente definido a nível de escola/agrupamento?

Ou como é que alguns órgãos de gestão em rota de (re)colagem ao diktat situacionista já aceitam a entrega de OI uns segundos antes da entrega da ficha de auto-avaliação?

Já vale tudo, mesmo tirar olhos?