Foi cá uma andorinha que me sussurrou. O que tem a sua graça, atendendo a este meu post de dia 19 e à sua conclusão:

Discutir a sério, meus caros, nunca é sinal de fraqueza ou divisão. Discutir a sério é sinal de força e vitalidade. Não discutir ou evitar o confronto público é que é sinal de fraqueza. Aprendam com o passado recente alguma coisa.

Mas espero – com toda a sinceridade – estar errado e a consulta de 20 a 24 de Abril me demonstrar que tudo está em aberto.

Nesse caso, darei a mão à palmatória. Nem que marquem a manifestação para dia 15 ou 23, só para mostrar imensa abertura à opinião dos professores.

Eu gostava de dar a mão à palmatória, mas que não fosse apenas com a mudança de data da manifestação.

Por duas razões, que nem me vou alongar muito a expor, por causa das coisas.

  • Porque a participação na semana da consulta está a ser muito abaixo do esperado e qualquer decisão baseada na amostra em causa será sempre muito frágil. Aliás, penso que seria bem mais útil reflectir sobre as causas da baixa participação  e, em vez de estarem a preparar o cenário da retirada no final do ano lectivo nos bastidores, tentarem perceber onde está a origem do problema.
  • Porque a classe docente não pode funcionar como primeira linha e carne para canhão de uma estratégia mais global de confronto político, sem que estejam garantidas contrapartidas caso ela resulte. Lamento mas – sou tacticista e para além disso realista – actos de sacrifício colectivo em nome do bem comum não se devem fazer apenas em troca de elogios no momento do funeral. Para bons entendedores…

E agora não me venham dizer que estou a alinhar com isto e aquilo, porque já expliquei que não foi à minha custa que este Governo chegou ao poder, nem será com ele que o primeiro fax continuará. Mas também não gosto que usem o meu grupo profissional como isco ou diversão…

Só com papel passado e garantia…

Nem me digam que é por causa dos textos e comentários de um ou outro blogue que houve baixa participação na consulta. Como o presidente do CCAP pretendeu quanto à contestação em torno da ADD. Nem eu tenho tais delírios de grandeza.