Mas então agora temos o dever de participar na governança com as regras definidas por outros?

Tutela acusa professores de Santo Onofre de “não cumprirem dever de cidadania”

O Secretário de Estado da Educação, Valter Lemos, afirmou hoje que o Conselho Executivo do agrupamento de Escolas de Santo Onofre foi destituído e substituído por uma Comissão Administrativa Provisória (CAP) “porque os professores não quiseram participar na governação das suas escolas e não cumpriram um dever de cidadania: o de apresentar uma ou mais listas ao Conselho Transitório”.

“Choca-me que não tirem partido desse direito, mas se é assim que querem muito bem: a escola é pública e o Estado tem a obrigação de assegurar a sua governação nos termos da lei”, disse, em declarações ao PÚBLICO.

Mas afinal, mais adiante, já é um direito?

Choque, choque é certos alguéns armarem-se em pregadores da cidadania com currículos que ficam um bocado a dever à coerência.

Eu sou, por caso, obrigado a concorrer à Junta de Freguesia da aldeia onde vivo?

Algum outro profissional é obrigado a candidatar-se a um órgão de não-sei-quê-transitório no seu local de trabalho?

Mas então a Ministra não disse no Parlamento – eu vi e gravei para não me desmentirem – que era a comunidade local que não queria tomar conta da Escola?

Entendam-se ou isto é uma anarquia. E nós não queremos isso. Apenas a Lei e a Ordem!