A resposta, em especial a parte em que afirma que «a comunidade local não quer tomar conta da escola nos termos que a lei exige» é algo surreal.