Pelas 9 da manhã tocam-me à campaínha.

Pensei para comigo: É desta!!!

É desta que a encomenda que espero há 2 semanas e teve duas entregas falhadas por motivos que desconvém comentar me vai chegar!

Afinal não!

Era um jovem técnico da PT que me vinha instalar o MEO em casa, sendo que eu tenho o MEO instalado há ano e meio.

Adivinhei logo a razão do erro: lá veio ele bater-me à porta de casa porque confundiu a rua onde moro com a praceta com o mesmo nome.

Isto acontece pela milentésima vez nos últimos anos. Eu bem posso tentar explicar que uma rua é uma rua e uma praceta uma praceta. Que se distinguem bem pela morfologia. Para não dizer pelas placas respectivas, sendo que a da minha rua está bem visível a cerca de 50 metros da minha casa em painel de azulejos.

Lá fui eu muito gestual, explicando que minha rua é bem recta e dificilmente se confunde com uma praceta que, por definição, terá uma forma arrendondada, oval, quadrada, rectangular, sei lá.

Desta vez o rapaz abespinhou-se com o meu protesto e alegou que não sei quê as pracetas têm formas estranhas e que só seguiu o GPS.

Pois claro.

O GPS.

Quais mapas!

Quais placas toponímicas!

O GPS com vozinha a dar recomendações, para evitar usar o cérebro e os olhos.

Cheguei à porta e apontei-lhe a placa com o nome da rua e perguntei-lhe se não sabia ler, ou apenas olhar em busca de indicações, em vez de apenas seguir cegamente o gadgetzinho.

Acho que se foi embora aborrecido.

Mas não se deve voltar a enganar.Pelo menos por estas bandas.

(Já agora, a minha última encomenda na Amazon está com 2 semanas de atraso, não fazendo ideia sobre o local onde terá ido parar. O mais certo é alguém ter ficado feliz com 90 euros de livros novinhos em folha.)