Terça-feira, 24 de Março, 2009


Hard-Fi, Can’t Get Along (Without You)

É a resposta do Presidente da Comissão Executiva Instaladora da EB 2/3 de Macedo de Cavaleiros ao pedido de Certidão de Teor motivado pela notificação, com o anúncio das penalizações, dirigida a 70 docentes, por não terem entregue os Objectivos Individuais.

Note-se que esta resposta é de calibre bem superior às dadas pelo Ministério da Educação, mesmo se alega como base da sua fundamentação o nº 4 do artigo 40º do ECD para justificar a introdução dos OI no simplex, o que é de duvidosa validade.

Este exemplo serve ainda para demonstrar como, pelo país, há muito bom órgão de gestão pronto para sacrificar os colegas a troco do sossego da tutela.

mcavaleiros11mcavaleiros2mcavaleiros3mcavaleiros41

Ou seja o despacho 8065/2009: despacho_8065_2009_teip2_listagem_escolas_prioritarias.

Portaria valteriana (nº 303/2009) para tentar desenrascar o problema das habilitações para leccionar castelhano, a que alguns chamam espanhol.

Mas afinal sempre havia algum problema?

Se puder divulgar, agradecia.

http://www.peticao.com.pt/responsabilizacao

Creio que será difícil os professores não concordarem com isto.

L.

Olá Paulo,
Um amigo meu, historiador (Julião Soares Sousa – http://juliaosousa.blogspot.com), iniciou uma petição para a

Candidatura de Henrique Rosa à presidência da República da  Guiné-Bissau http://www.peticao.com.pt/henrique-rosa.

Se puderes divulgar, agradecia.

G.

Não percebo, muito sinceramente, o sentido desta queixa num Orçamento de milhares de milhões de euros:

Ministério da Educação estima gastar 600 mil euros com horas extraordinárias irregulares e horários mal atribuídos

Lembremo-nos que isto significa, para todo o país, menos do quintuplo do valor do famoso contrato com João Pedroso.

Ainda se estivessem preocupados com isto (já antigo), ou isto, ou mesmo isto, ou ainda isto, para não falar na mais recente derrapagem  em matéria de Obras Públicas:

Ministro minimiza derrapagem de 11 milhões nos molhes

Não se deve ignorar que este é o ministro-jamé que tem a seu cargo parte da responsabilidade na distribuição dos Magalhães, outro negócio cujos contornos financeiros ninguém parece conhecer.

E estão preocupados com um gasto adicional, num universo de 140.000 horários, com um valor inferior a 3 apartamentos ali na esquina da moda, ao preço antigo, que agora nem deve dar para 2?

Brincamos, não?

Página seguinte »