Acho que neste momento, independentemente do desfecho da questão da avaliação do desempenho dos docentes, já é possível fazer o balanço deste mandato em termos de Educação, sendo aquilo que Maria de Lurdes Rodrigues, como testa-de-ferro de uma causa de que a certa altura sentiu ser a verdadeira fomentadora, deixará para a posteridade, para além de um eventual lugar nos recordes de permanência nos cadeirões da 5 de Outubro.

O dito balanço é complexo, exigiu bastante e aturada reflexão, consulta de muita e variegada bibliografia, assim como alguma hermenêutica legislativa, não esquecendo diversas visitas a escolas, autarquias e gabinetes para entrevistas em vários pontos do país, estrangeiro e alguns arredores mais à mão.

Tudo para descobrir que como herança, ainda mais do que a máscara estatística da melhoria das aprendizagens, podemos concluir que:

Ninguém se entende.