De uma notícia do JN:

O presidente da Pró-Ordem dos Professores, Filipe do Paulo, que afirmou no final da reunião de 18 de Novembro da ministra com militantes do PS ter sido impedido de concluir uma intervenção quando pretendia pedir a demissão de Maria de Lurdes Rodrigues, viu hoje em José Sócrates “uma grande abertura ao diálogo”.

“Verifica-se que o Governo recuou significativamente nestas matérias. Importa agora que os sindicatos também não radicalizem posições e consigam aproveitar esta abertura para, em diálogo e negociação, conseguirmos alguns avanços”, disse Filipe de Paulo aos jornalistas, no final da reunião.

Para o dirigente da Pró-Ordem, importa “começar desde já a negociação do novo modelo de avaliação e trabalhar de imediato na desburocratização do actual modelo para o tornar exequível nas escolas”.

O passo seguinte é abandonar a Plataforma e publicar nº de associados da Pró-Ordem, para sabermos o que vale e o que representa esta caríssimo colega.