Vão-me chegando ecos mais ou menos difusos das acções de formação sobre o novo modelo de avaliação para futuros avaliados. São as maias curtas, julgo que as mais displiscentes em alguns aspectos, a começar pelo material (não) distribuído e as que são frequentadas com maior desconfiança pelos formandos.

Contra isso -e perdoe-me algum que não corresponda ao perfil – é lançado em escol de formadores que se divide entre curiosos sobre a matéria (psicólogos educacionais ou outros especialistas exteriores às escolas) e o docente adesivado à situação.

É sobre este – o formador-adesivado – que eu gostaria de deixar aqui uma espécie de decálogo de conduta, retirado de diversos exemplos que me foram relatados nos últimos dias.

1. O formador-adesivado é um excelente profissional, melhor do que ele só mesmo um secretário de estado ou a ministra elle-même.

2. O formador-adesivado é cumpridor de todas as regras emanadas do ministério, independentemente da cor, odor, sabor ou dor que provoquem, porque do alto vem a luz e insondáveis podem ser as palavras da Senhora mas são para cumprir.

3. O formador-adesivado dá formação com espírito de missão e dedicação à causa, mas não há nada como a missão que se traduza numas centenas de euros por acção.

4. O formador-adesivado dá formação sobre o modelo de avaliação, mesmo quando ele já acabou de ser remendado e transformado em outra coisa, pois não houve tempo para mudar os ficheiros de mp3.

5. O formador-adesivado não subscreve moções na sua escola porque subscrever moções faz mal a várias coisas, por exemplo diz que faz mal aos outros e sobrecarrega os órgãos de gestão, para não falar nos furúnculos granulosos que faz crescer na pele.

6. O formador-adesivado detesta ser contraditado em termos que considera desapropriados ou inoportunos, ou seja, sempre que alguém tem uma opinião própria e não se coíbe de a apresentar.

7. O formador-adesivado anda sempre em busca de boas práticas, desde que elas envolvam grelhas desdobráveis, indicadores de medidas grandes e instrumentos de referência à distância e ao perto.

8. O formador-adesivado é um grande compincha e é capaz de tomar café com outros seres humanos, desde que não lhe falem em moções, outras emoções ou qualquer tipo de transgressões.

9. O formador-adesivado anda em digressão pelo país em horário pós-laboral e aos sábados, tirando ainda as outras partes do dia em que ajuda as escolas a avançar com o processo, não vá o processo não avançar, pois ele diz que não há nenhuma escola – nem uma – onde não esteja a avançar.

10. O formador-adesivado gosta muito de pauerpóintes com citações eruditas, quando não são copiadas de outros pauerpóintes encontrados na rede ou arredores.

Há excepções, claro, mas estão em vias de extinção.