Caros colegas
Depois da manifestação de 8 de Novembro, é pouco útil continuar a aprovar moções pedindo a suspensão do modelo de avaliação. O que interessa é concretizar o 1º ponto da Resolução aprovada na Manifestação:

” 1 – Agir para que, em cada uma das suas escolas, todos os professores se comprometam com a decisão de suspender a avaliação de desempenho e recusem concretizar qualquer actividade que conduza à instalação ou desenvolvimento do modelo imposto pelo ME, tornando pública a sua decisão.”

E assim fizeram os professores da Secundária Gabriel Pereira de Évora hoje, dia 12 de Novembro.

Nesta assembleia foram discutidos diversos pontos de vista , uns favoráveis ao actual modelo, outros que o recusavam, sendo que 118 professores assinaram um documento onde declararam recusar a sua participação na aplicação do modelo de avaliação de desempenho do pessoal docente, previsto pelo Decreto Regulamentar nº2/2008, e manifestaram a sua disponibilidade para colaborar na elaboração de um modelo de avaliação alternativo.

Este tem que ser um movimento nacional. Já tinhamos pedimos a suspensão do modelo, 80% dos professores portugueses também já o tinham feito publicamente. Como resposta apenas obtivemos a inflexibilidade e o autismo de quem acha que tem sempre razão.

Desta vez passámos à acção. Se perdermos esta oportunidade não saberemos quando voltaremos a ter um ambiente favorável à recusa desta avaliação a nível nacional. Esta semana é decisiva!

É tempo de agir, caros colegas.

Bom trabalho para todos !

Élia Mira


Eu quero ser avaliada através de um modelo que promova:

– a melhoria do desempenho
– a valorização das práticas profissionais
– o sucesso educativo

-“Quando os mestres são convertidos em escravos é a educação que se escraviza. E é por aqui que se perde a Liberdade.”


Eu quero ser avaliada através de um modelo que promova:

– a melhoria do desempenho
– a valorização das práticas profissionais
– o sucesso educativo

-“Quando os mestres são convertidos em escravos é a educação que se escraviza. E é por aqui que se perde a Liberdade.”

Anúncios