Escolas estão a complicar involuntariamente processo de avaliação

O secretário de Estado Adjunto e da Educação afirmou esta quarta-feira que algumas escolas estão a complicar involuntariamente o processo de avaliação de desempenho, devido à necessidade que sentem de fundamentar ao máximo as notas que vão atribuir.

“Há uma ilusão de objectivismo que se introduziu em algumas escolas que leva à complexização excessiva, desnecessária e desadequada do processo. Nesse sentido, a missão do Ministério da Educação é ajudar as escolas a fazer bem e a simplificar”, afirmou Jorge Pedreira, durante um debate na Assembleia da República sobre o Orçamento de Estado do sector para 2009.

À saída do debate, o secretário de Estado acrescentou que esta situação é provocada pelo facto de as escolas quererem “justificar ao máximo a distinção dos professores, com a maior objectividade possível e a maior fundamentação possível”.

“Para justificar isso produzem uma quantidade de papéis e têm discussões intermináveis sobre indicadores que naturalmente pesam sobretudo no trabalho dos professores”, afirmou.

A culpa tinha mesmo que ser das escolas. Esta proposta de grelhas do ME, publicada em Diário da República é uma mistificação destinada a lançar o caos nas escolas e certamente transmitida por sms.