A caminho de casa, ouvi incrédulo no noticiário das 4 da tarde na TSF (a cerca dos 3 minutos do dito), o actual primeiro-Ministro declarar, em relação à situação de desemprego e não colocação de muitos professores algo como:

O tempo das facilidades [para os professores] acabou.

Mas não há espelhos lá pelo gaveto da Rua Castilho?

Uma coisa é procurar justificar uma racionalização dos meios humanos, mesmo que com argumentos estritamente economicistas, outra ser desnecessariamente acintoso.

Porque, nesse caso, quem não respeita os outros…