Já apanhei a reportagem a meio, no noticiário nocturno da SIC. Pelo que percebi era sobre a excelência e custos de alguns colégios privados de Lisboa e do Porto, respectivamente do Colégio de ão João de Brito, da Oporto British School, e, esse vi em directo, do Colégio Luso Internacional do Porto mais conhecido por The Oporto International School.

Ensino à britânica, boas instalações, tudo com legendas e instruções em inglês, incluindo as Rules and Regulations. Actividades curriculares em catadupa e extra-curriculares em dupla catadupa.

Como não vi a peça toda, concentrei-me, maravilhado, nas condições do CLIP. Um dos responsáveis, felizmente português e expressando-se em português para as câmaras (na British School foi tudo very british), explicou adequadamente o funcionamento do colégio, desmentindo que só alguns possam frequentá-lo, atendendo ao custo das propinas. Que não, que até 85% dos 700 alunos são portugueses, alguns mesmo da classe média, «que se esforça» por dar qualidade à educação dos filhos. Mais atrás referiu mesmo que, por vezes, é necessário, algumas famílias privarem-se das férias por tão boa causa.

E então quanto custa, perguntamos nós? De acordo com a reportagem a coisa pode fazer-se por 8.000 euros anuais, ao que parece um valor mais acessível do que o do Britânico (de que não acho o site…) que é mais caro, pois as mensalidades oscilam entre os 780 e os 1150 euros.

Áu mache?

Advertisements