Depois do epitáfio do Vasco Pulido Valente é a vez de José Carlos Vasconcelos na Visão que saiu hoje começar a teorizar sobre a forma do PS actual sair do cubículo em que se encerrou, fruto de uma conjugação letal de arrogância na postura e impotência prática em termos de governação para além da espuma dos efeitos comunicacionais ou dos apertos localizados a estratos bem definidos da classe média.

A visão de filas e filas de carros, hoje, junto aos postos de abastecimento de combustível e a audição das conversas de café ou transportes públicos sobre o assunto é algo que vale por mil sondagens encomendadas. O engenheiro falhou em toda a escala, mesmo com uma maioria absoluta que pretendeu triturar tudo e todos.

Resta saber se percebe que errou se apenas vai fingir perceber ter errado, para ter nova hipótese de errar. Para Bilderberg parece que já convidaram o seu suplente.