Retrato da infância em Portugal

160 minutos é o tempo que um rapaz português, na faixa etária dos 10 aos 14 anos, despende a ver televisão que é, aliás, a principal fonte de entretenimento das crianças portuguesas.

12245 menores viviam, em 2006, em instituições de acolhimento. Nesse mesmo ano, o número de crianças acompanhadas pelas Comissões de Protecção de Crianças e Jovens era de 25209. Portugal regista o triste recorde de ser o país europeu com mais mortes de crianças vítimas de violência familiar ou por morte violenta indeterminada (3.7 em cada cem mil).

23% de pobreza registada entre as crianças portuguesas, o que representa uma taxa mais elevada do que a da população adulta (21%).

1,6 milhões de crianças entre os zero e os 14 anos, em Portugal, no ano de 2005, o que significa uma diminuição de 39% em 24 anos.

Já agora, cruzem estes dados com algumas ideias deste estudo e depois sempre podem inquirir o que o SE Almeida tem a dizer sobre tudo isto. Se também espera «decisões políticas» acerca disto.

Pois, é capaz de não conhecer o estudo. Não é do CNE onde ele tem assento, não deve ter recebido nenhuma cópia.