Quinta-feira, 27 de Março, 2008


Até que enfim. Tempo de antena desperdiçado.

Lição final, que muito revela sobre a autonomia permitida pelo Estatuto do Aluno: a moderadora afirma que a DREN decidiu transferir a aluna.

Certo.

Ele e a Helena Matos deveriam perceber que aquilo não é a discussão deles na última página do Público.

Entretanto é atropelado pelas companheiras de debate. Não se está a perder muito. Acho que a escolha do fato e da gravata esgotaram a criatividade.

Fátima Bonifácio continua a dizer que «aquela escola não existe». Caramba, pelos critério dela a rede escolar em Portugal acaba de ser reduzida numas belas fatias.

Descobriu a pólvora: os maus alunos deveriam chumbar. A obsessão com as estatísticas estraga tudo.

Interrupção da Helena Matos, que parece não perceber o que é bem o Ensino Profissional e para que serve. Não é só para arrumar delinquentes.

Olha! Deu aulas na Damaia! Diz que não havia contacto físico alunos-professores. Certo. Com uma colega minha o contacto foi mediado por uma faca no pescoço.

Boa ligação entre este tipo de condutas e os cursos pagos «naquelas universidades privadas».

Uma certa falta de contacto com a realidade quanto às reuniões com os EE’s nas Escolas. Eu não me lembro de discutir «teorias pedagógicas» nessas ocasiões.

Agora patinou com aquela dos professores de Educação Física. Disparate Puro.

Ahhhhh… voltou a FB que eu conheço. Já evocou as «criaturas». Isso aprendi com ela e com outra colega do ano anterior.

Agora já está naquele misto de enfado irritado com o mundo que muitos de nós enfrentámos (eu fui poupado, admito). Culpas sobre a Psicanálise, as Ciências Sociais e a Família.

Boa. Lembrou-se que existiram mais culpados na aula.

Estão a desfocar-se por completo. Confirma-se que, talvez exceptuando Helena Matos, ninguém tem nada de relevante a dizer, de forma articulada e consequente.

Página seguinte »